A BÍBLIA-FRANKENSTEIN:

APELIDO DA BÍBLIA DE GENEBRA EM PORTUGUÊS, QUE É MAIS UMA FALSIFICAÇÃO DA SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL !


1. Introdução

O mercado de apetrechos religiosos está em alta! Atentos a essa tendência, estão muitos que aproveitam o apetite insaciável do homem moderno em relação às novidades, auferindo lucros maiores. Lançada recentemente no Brasil, surge mais uma atração no mercado multi-diversificado de Bíblias modernas: É a BÍBLIA DE GENEBRA editada pela ecumênica Sociedade Bíblica do Brasil, resultando numa monstruosa combinação com cabeça de dragão (texto da Atualizada) num corpo de bode (encadernação da SBB) e pés de cabra (notas de rodapé mal traduzidas)!

2. Breve Histórico

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), nada mais é que a apóstata UNITED BIBLE SOCIETIES (UBS) com cara brasileira. Esta Sociedade Bíblica, que tem um triste passado de modernismo, apostasia e tolerância com hereges no seu meio desde o século passado (através da BFBS - British and Foreign Bible Society), fincou o pé no Brasil em 1948 com o nome brasileiro. Foi ela que lançou a Bíblia Revista e Atualizada, um texto ecumênico (essa tradução é recomendada pela CNBB) que pouco tem a ver com a obra do pastor protestante João Ferreira de Almeida (radicalmente anti-católico), apesar de usar indevidamente o seu nome. Não satisfeita, a SBB conseguiu piorar o que já era ruim: lançou no final da década de sessenta, a infame Bíblia na Linguagem de Hoje, a segunda maior catástrofe Bíblico-teológica em língua portuguesa, só perdendo para a perversão "Mundo Novo" das Testemunhas de Jeová, mas não por muito, pois o texto grego pervertido em que ambas se baseiam, é o mesmo. Agora, seguindo a sua linha de ação, a SBB lança a Bíblia de Genebra falsificada, com o texto da Revista e Atualizada, que mais uma vez nada tem a ver com o texto original da Bíblia de Genebra lançada em 1560, pelos reformadores que adotavam a família do Textus Receptus, que é melhor ainda representado na monumental Bíblia King James.

 


Vejamos uma bela descrição em inglês da "Geneva Bible" :

"The Geneva Bible was one in a line, preceded by the Great Bible and followed by the Bishops Bible, marking the ascent to the King James Version. After the King James was finalized, revision was of a retrograde nature; English revision work started going downhill. It was going uphill with the Geneva, and then it started going downhill after the KJV. The Geneva, like those English bibles preceding it and immediately following it (except the Jesuit Douey Rheims Bible), follows the traditional text underlying the King James Version. Historically, the church has always used the traditional Greek text that underlies the King James Version, not the Jesuit text now underlying the NIV and NASB. The Geneva Bible was written in about 1560, and was used by those people who were exiles from the persecution of Bloody Mary, queen of England. The Geneva New Testament was written by a gentleman named William Whittingham. It had a number of good points. Each verse was separate. This would encourage memorization and was new for English bibles. It had many anti-Catholic footnotes. Some of the areas in which it needed improvement include Psalms 12:7 where it followed the Septuagint and its denial of the preservation of scripture. In several places, the Geneva Bible uses the term "master" instead of "Lord." In Hebrews 4:11, it had the term "disobedience"; it really should be "unbelief." The KJV corrected all of these errors. There are also some funny words in the Geneva Bible. It was called the Breeches Bible because in Genesis 3, it said that Adam and Eve wore breeches. The "abusers of themselves" (1 Cor. 6:9) were called "buggerers." The King James was an improvement of the Geneva Bible, but the Geneva was definitely within the line of the traditional text bible."

 


Agora leiamos a tradução do trecho acima:

"A Bíblia de Genebra foi uma numa linha precedida pela Grande Bíblia e seguida pela Bíblia dos Bispos, marcando a ascenção para a Versão King James. Depois que a King James foi finalizada. As revisões foram de natureza decadentes.; Os trabalhos de revisão em inglês começaram a ir então ladeira abaixo. Estava indo ladeira acima com a de Genebra e começou ir ladeira abaixo após da King James. A Bíblia de Genebra, como aquelas Bíblias em inglês que a precederam e imediatamente que a sucederam (exceto a Bíblia Jesuíta Douey Rheims ), seguem o texto tradicional que baseia a Versão King James Version, e não o texto Jesuíta que agora baseia a NIV e NASB. A Bíblia de Genebra foi escrita em torno de 1560, e foi usada por aquelas pessoas que estavam exiladas das perseguições da Maria Sanguinária, rainha da Inglaterra. O Novo Testamento da Bíblia de Genebra foi escrito por um cavalheiro chamado William Whittingham. Ela tinha inúmeros pontos bons. Cada verso estava separado. Isto encorajava a memorização e era uma novidade para as Bíblias em inglês. Ela tinha muitas notas de rodapé anti-Católicas. Uma das áreas que precisavam melhoramentos era Salmo 12:7, onde ela seguia a Septuaginta e sua negação da preservação das Escrituras. Em vários lugares, a Bíblia de Genebra usa o termo "mestre" ao invés de "Senhor". Em Hebreus 4:11, ela tinha o termo "desobediência"; onde realmente deveria ser "incredulidade". A King James Version corrigiu todos esses erros. Tinham também alguns termos curiosos na Bíblia de Genebra. Ela era chamada a Biblia dos calções [tradução literal], porque em Gênesis 3, é dito que Adão e Eva usaram calções. A expressão "abusadores deles próprios" [tradução literal da King James] (1 Cor. 6:9) foram chamados de "pederastas." [tradução literal]. A Bíblia King James foi um melhoramento da Bíblia de Genebra, [ênfase do tradutor] mas a Genebra era definitivamente dentro da linha da Bíblia do texto tradicional."

3. A Bíblia de Genebra da SBB usa um texto falsificado, diferente do original.

O nobre leitor já se deparou com aquele carro velho, caindo aos pedaços, porém com as rodas de uma BMW? É ridículo não é mesmo? Não combina! Acontece o mesmo com a questão em pauta... Se não fosse um assunto tão sério, daria vontade às vezes de soltar uma risada do ridículo em que se meteram os falsificadores da SBB. Para quem conhece a Bíblia de Genebra, logo percebe o emaranhado. Seria melhor que eles que jamais editassem tal Bíblia-Frankenstein, pois assim o pobre texto da versão Atualizada não ficaria tão exposto às fraudes de que se origina. Para quem ama a pura palavra de Deus, entretanto, é uma ótima chance de denunciar o erro e esclarecer os incautos! Vejamos: O Novo Testamento grego que baseia o texto da versão Atualizada da SBB, é o texto corrupto batizado de WH ou TC, com CENTENAS DE OMISSÕES, desenterrado das trevas do desprezo e publicado apenas em 1881 por dois heréticos chamados Westcott e Hort... Acontece que o texto da Bíblia de Genebra vem, em 1560, de uma família que estava nas mãos dos verdadeiros crentes e reformadores, culminando na insuperável Bíblia King James editada em 1611. Esta família de textos foi batizada mais tarde de TEXTUS RECEPTUS, que é ODIADA PELA SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL. Tanto é verdade que a SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL, não fornece por telefone ou em suas lojas o TEXTUS RECEPTUS, nem a BÍBLIA KING JAMES. Um crente, ao fazer uma visita às suas instalações em Brasília, se deparou com uma vendedora da Sociedade Bíblica do Brasil que nem sequer sabia da existência dessas Bíblias fazendo, todavia, a maior propaganda da Bíblia na Linguagem de Hoje, "boa para os novos convertidos"!

Voltando à questão das omissões, é hilário, quando a verdadeira Bíblia de Genebra comenta em rodapé o texto de Mateus 1:25, mutilado criminosamente pela Sociedadade Bíblica do Brasil em sua clonagem pervertida Atualizada-Frankenstein-Genebra. O Texto na autêntica Bíblia de Genebra no original é o seguinte:

"And knew her not till she had brought forth her firstborn son: and he called his name Jesus."

Agora, a tradução corretíssima da Almeida Corrigida e Fiel (ACF) da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, baseada no Textus Receptus:

"E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito, e pôs-lhe por nome Jesus" [ênfase nossa].

Na Atualizada da SBB omitiram "o primogênito" para agradar o catolicismo. Vejamos o caso de 1 Tim 3:16:

Bíblia de Genebra verdadeira:

"...God was manifest in the flesh..."

 ("Deus se manifestou em carne...")

 

Bíblia de Genebra falsa da Sociedade Bíblica do Brasil:

"...aquele que foi manifestado na carne..."

 

O leitor inteligente logo percebe que não poderá confiar numa versão fraudulenta, que usa o nome Bíblia de Genebra COMO UMA JOGADA DE MARKETING para vender!

 

4. A Bíblia de Genebra da SBB usa notas de rodapé diferentes do original.

Como conseqüência de usar um texto diferente do original, é claro que as notas de rodapé (pés de cabra) também teriam que ser distorcidas para se acomodar ao texto da Atualizada (cabeça de dragão). Vejamos apenas um exemplo por falta de espaço. Novamente o exemplo do texto em 1 Tim 3:16. O primeiro parágrafo abaixo é o texto Bíblico. O segundo são as notas de rodapé. Na VERDADEIRA BÍBLIA DE GENEBRA lemos então, em inglês:


 

3:16 {8} And without controversy great is the mystery of godliness: God was manifest in the flesh, {k} justified in the Spirit, seen of angels, preached unto the Gentiles, believed on in the world, received up into glory.

 

(8) There is nothing more excellent than this truth, of which the Church is the keeper and preserver here among men, the ministry of the word being appointed to that end and purpose: for it teaches us the greatest matters that may be thought, that is, that God has become visible in the person of Christ by taking our nature upon him, whose majesty, even though in such great weakness, was manifested in many ways, in so much that the sight of it pierced the very angels. And to conclude, he being preached to the Gentiles was received by them, and is now placed above in unspeakable glory. (k) The power of the Godhead showed itself so marvellously in the weak flesh of Christ, that even though he was a weak man, yet all the world knows he was and is God.

 

A tradução correta é:

 

3:16 {8} E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, {k} foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória.

 

(8) Não há nada mais excelente do que esta verdade, da qual a Igreja é a mantenedora e preservadora aqui entre os homens, o ministério da palavra sendo apontado para aquele fim e propósito: pois isto nos ensina os maiores assuntos que possam ser pensados, o qual é que Deus se tornou visível na pessoa de Cristo tomando nossa natureza sobre Ele cuja majestade, apesar de tamanha fraqueza, foi manifestado em muitas maneiras tanto que apenas a visão disto penetrou até mesmo os anjos. E para concluir, sendo Ele pregado aos gentios, foi recebido por eles e é agora colocado acima de forma em indizível glória. (k) O poder da Trindade manifestou-se maravilhosamente na fraca carne de Cristo, que apesar de ser homem fraco, ainda todo o mundo sabe que era e é Deus.

 


 

AGORA O RODAPÉ DA FALSA "BÍBLIA DE GENEBRA" da SBB que insiste na omissão:

"...aquele que foi manifestado na carne:..."

 

5. Conclusão

As diversas Bíblias lançadas pela SBB são um sucesso de vendas! Aproveitando a ignorância do povo e a omissão dos pastores, a Sociedade Bíblica do Brasil avança acenando com novidades e sua filosofia ecumênica da mediocridade. A palavra de Deus pura na língua portuguesa, entretanto, não será abalada. Ela pode ser obtida na versão Corrigida e Fiel da Sociedade Bíblica TRINITARIANA do Brasil, que se baseia no Texto preservado por Deus, QUE É O MESMO TEXTO USADO PELOS GIDEÕES INTERNACIONAIS! Rejeitemos os falsos mestres, que abandonaram a simplicidade do evangelho, e nos voltemos para a palavra de Deus que é uma só.

 

"Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus..."
(2Cor 2:17 ACF)

 


 

BIBLIOGRAFIA

A BÍBLIA SAGRADA - Edição Almeida Corrigida e Fiel da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, 1995.

BÍBLIA DE ESTUDO DE GENEBRA - SBB, 2000.

A BÍBLIA TRAÍDA, Pr. Aníbal Pereira Reis,1976.

ESSAS BÍBLIAS CATÓLICAS!!!, Pr. Aníbal Pereira Reis, 1971.

BÍBLIAS FALSIFICADAS, artigo do jornal DESAFIO DAS SEITAS, Edição Mai/Jun 2000, Mary Schultze

MODERN BIBLE VERSIONS, David W. Cloud, 1994.

FOR LOVE OF THE BIBLE, David W. Cloud, 1995.

THE LIVING BIBLE, BLESSING OR CURSE, David W. Cloud, 1991.

 

 


Elaborado por: JPMA


Menu Versões Bíblicas

Menu principal