Queda da Convenção Batista Brasileira:
Casa afundando na areia da apostasia!

Parte 6: Denominacionalismo decadente



20 razões porque não sou da Convenção Batista Brasileira




20 Razões porque um batista não deve fazer parte de igreja afiliada à Convenção Batista Brasileira:


1. Porque o sistema "denominacional" (versão 'evangélica' da hierarquia clerical católico-romana) é anti-Bíblico e sufoca a igreja local, pobre serva e refém, em prol da poderosa e tirânica convenção. Certo pastor antigo, famoso na denominação, declarou melancólico e resignado sobre a apostasia denominacional: "O que é que se pode fazer? A pressão vem de cima para baixo..." É claro que vem de "cima para baixo". Vamos traduzir essa expressão: O "de cima" é a "denominação" mais importante que as igrejas, e o "para baixo" é a pobre igreja local que mente para si mesma propagando que é "autônoma". É claro que as igrejas associadas à Convenção Batista não são autônomas. Suas soberanias foram entregue de bandeja quando elas toleram essas interferências. Basta uma olhada nos modelos de Estatuto que as Convenções empurram goela a baixo das igrejas que se nota quanto as igrejas são meras "filiais" da hierarquia maior. Isso jamais traduz a doutrina do Novo Testamento muito menos a chamada "tradição batista"

2. Porque a Convenção Batista Brasileira é radicalmente ecumênica.

3. Porque a Convenção Batista Brasileira se recusa a repreender os garotos propaganda Nilson Fanini e Billy Graham por suas abomináveis relações com a Mãe das Prostituições que é a Igreja Católica.




Billy Graham e o papa João Paulo II num encontro
particular no Vaticano em janeiro de 1990.



4. Porque as igrejas da Convenção Batista Brasileira não são lideradas biblicamente, pois muitas possuem "diconisas" (totalmente anti-Bíblicas), pastores divorciados ou aceitam heresias pragmáticas.

5. Porque o mundanismo é desenfreado e galopante nas igrejas e seminários da Convenção Batista Brasileira.

6. Porque publicações e livrarias ligadas à Convenção Batista Brasileira são coniventes com venda de material herético. Exemplos: Já se vendeu livros da diabólica Maçonaria a até Bíblias Católicas! (protestos contra essa apostasia foram totalmente ignorados...)

7. Porque centenas de mulheres na Convenção Batista Brasileira estão usurpando posições de liderança e muitas são "diaconisas" e "pastoras".

8. Porque o movimento carismático está galopante dentro da Convenção Batista Brasileira. Isso foi admitido abertamente por Nilson Fanini numa entrevista à revista Eclésia em Jan. 2002 quando, ao assumir pela 11a. vez a presidência da CBB, disse: "...há mais igrejas, digamos assim, carismáticas na CBB como existem tradicionais na CBN."

9. Porque a Convenção Batista Brasileira e seus seminários estão permeados com modernismo teológico.

10. Porque a Convenção Batista Brasileira está impregnada de Maçons.

11. Porque a maioria das igrejas da Convenção Batista Brasileira não exerce disciplina: É claro pois muitas estão desmoralizadas, tolerando, aceitando e apoiando Pastores divorciados.

12. Porque a Convenção Batista Brasileira está contaminada com o movimento de crescimento "Igreja com Propósito" (mundano) e com a herética Rede Ministerial ensinados até mesmo nos seminários da CBB.

13. Porque a Convenção Batista Brasileira e todos os seus seminários estão contaminados com as versões modernas da Bíblia, incluindo a abominável Bíblia na Linguagem de Hoje e sustentam a apóstata e ecumênica Sociedade Bíblica do Brasil.

14. Porque muitas igrejas da Convenção Batista Brasileira estão comprometidas com o evangelho social.

15. Porque o nível espiritual da liderança da Convenção Batista Brasileira é tão baixo que em 2002 elegeram pela 11ª vez, o ecumênico Pastor Nilson Fanini para presidente da CBB.

16. Porque muitas igrejas da Convenção Batista Brasileira estão contaminadas com a música satânica e sensual do rock e seus parentes, adorando assim a Diana dos evangélicos que é a bateria, adorada e elevada à posição de deusa intocável.

17. Porque muitos líderes da denominação são esquerdistas e apoiam o socialismo, ambos uma blasfêmia contra Deus. No final da década de 60, até mesmo um famoso padre comunista foi convidado a pregar, pasmem, num seminário Teológico da Convenção Batista Brasileira no Nordeste do Brasil.

18. Porque os super-salários dos figurões denominacionais não são divulgados.

19. Porque a Convenção Batista Brasileira, através do plano cooperativo retirado dos dízimos dos membros das igrejas, sustenta todos os erros acima e ainda por cima apoia e dá dinheiro para a blasfema, ecumênica e apóstata Aliança Batista Mundial repudiada até mesmo pela Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos.

20. Porque a maioria dos pastores da Convenção Batista Brasileira não ensinam o Dispensacionalismo, deixando os crentes atabalhoados, ignorantes e confusos acerca do final dos tempos, desinformando-os com o triunfalismo demente do amilenismo, que só alimenta a letargia dos crentes ingênuos que continuam a alimentar a apóstata máquina denominacional.

Em 1Co. 3:13 aprendemos que no Tribunal de Cristo as obras dos crentes serão manifestadas pelo fogo. Isso significa que não será a quantidade das obras do crente que serão recompensadas, mas a qualidade, a motivação para a glória de Deus! A pergunta é: Estou fazendo isso...

1. Para meu ganho financeiro? (2Co. 12:17)
2. Para agradar a homens? (Gl. 1:10)
3. Para receber apaluso e a glória dos homens? (1Ts. 2:6)
4. Para glorificar uma denominação? (Fl. 1:15)
5. Para me vangloriar por pertencer a uma igreja de 10 mil membros e desprezar uma pequena igreja com 30 membros? (Ap. 3:17)


Toda essa palha será queimada pelo fogo do Tribunal de Cristo. Esse denominacionalismo relatado acima, é incapaz de livrar-se das apostasias que o alimenta, transformando as igrejas em reféns de uma máquina religiosa voraz.

Vejamos o que Charles Spurgeon, o Príncipe dos pregadores, talvez o mais eloquente e brilhante pregador batista disse a respeito desse denominacionalismo apóstata quando ele se separou da União Batista Britânica:


A preservação de uma associação denominacional quando ela é impotente para disciplinar heréticos não pode ser justificada sob a base da preservação da 'União Cristã'..."

(The Forgotten Spurgeon, p 165.)

"Comunhão com erro conhecido e erro vital é participação em pecado."

(The Sword and the Trowel, Nov 1887)









Ensinos Anti-Bíblicos