IBRE: IGREJA BATISTA REGULAR ESPERANÇA
(SAMAMBAIA - DISTRITO FEDERAL)

FRUTO DO TRABALHO DA BAPTIST MID-MISSIONS
Rejeita Bíblia Atualizada e torna-se Fiel

AO TEXTUS RECEPTUS!

 

OBSERVAR NO ITEM III COMO O VERSO ENTRE ASPAS SE REFERE AO TEXTUS RECEPTUS EM 1TIM 3:16 (grifo nosso)!

 

 

É a seguinte declaração de fé que deve ser aceita e subscrita, como condição essencial e indisponível por todos aqueles que venham a se tornar membros da IBRE:

DECLARAÇÃO DE FÉ

A IBRE ACEITA E DEFENDE:

I. Que as escrituras do Velho e Novo Testamento, conforme, originalmente escritas, foram verbal e plenamente inspiradas, e assim se declaram: foram produzidas pelo Espírito Santo e portanto, a Bíblia é a suprema revelação da vontade de Deus para os homens e a aceitamos como única regra de fé e prática para a vida. 11 Tm. 3:16,17; 11 Pe. I, 19-2 1.

II. A existência de um único Deus, o Criador dos Céus e da Terra, que se manifesta em três pessoas distintas: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo; iguais em poder e gloria, executando ofícios distintos, porém harmoniosos na grande obra da redenção humana. Ex. 20:2; I Cor. 8:6.

III. Que o Senhor Jesus Cristo, em sua natureza humana, foi concebido por obra e graça do Espírito Santo, nasceu da bendita virgem Maria de modo sobrenatural; Ele é Deus verdadeiro Deus, "Deus manifestado em carne", o qual viveu na terra entre os homens, sua vida foi perfeita, imaculada, isenta e livre de pecado; sua morte na cruz do calvário foi o completo e perfeito sacrifício vicário e propiciatório, por causa dos nossos pecados e para salvar-nos da perdição eterna; sua morte não foi morte de um mártir, mas de uma vítima oferecida voluntariamente por e para Deus Pai, em lugar do pecador, como "O Cordeiro de Deus" que tira o pecado do mundo.

IV. Que o Espírito Santo é uma pessoa divina, possuindo todos os atributos de personalidade e deidade. É igual ao Pai e ao Filho, e da mesma essência. Sua principal missão ao mundo incrédulo é convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo, produzindo em pecadores a regeneração. Sua obra entre os salvos, em favor deles : selar, habitar, enchê-los com a Sua plenitude, guiá-los em ensiná-los a andar nos caminhos da justiça e da santidade. Que os dons de curar, línguas e profecias, eram dons e sinais para a Igreja nascente e não se manifestam atualmente na igreja. João 14:16; Hb. 9; 14; Ef. 1: 13,14; 1 Co. 14:22; 11 Tm. 4:20; 1 Co. 13: 8.

V. Que o homem foi criado por Deus na Sua Imagem e perfeição e santidade, porém, voluntariamente, transgrediu a proibição divina e, caindo da graça de Deus, perdeu o estado de santidade que o criador lhe dera, corrompendo-se em todas as suas faculdades. Em conseqüência da queda, todos os homens (visto que todos descendem do casal Adão e Eva) são pecadores, não por constrangimento, mas por motivo de sua descendência dos cabeças da raça humana (pecado original) e devido, igualmente, a sua livre escolha, Por isso "Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus", e se acham sob a condenação e ruína eterna, sem nenhuma desculpa ou defesa. Gn. 1:27; Rm. 5:12-19; Is. 53:6; Rm, 3:23.

VI. Que a salvação dos pecadores é inteiramente de graça através da obra medianeira do Filho de Deus, sem o auxílio de quaisquer méritos ou obras humanas (que nós pecadores não temos), e que, para recebê-la, a única condição exigida do pecador é que ele se arrependa dos seus pecados e aceite a Jesus Cristo, pela fé nele e no seu sacrifício na cruz do Calvário. Esta aceitação de Cristo, assim, importa em que o pecador nasça de novo, sendo regenerado pelo poder do Espírito Santo e tornando-se, então, o recipiente da nova natureza. Nessa bênção, que o evangelho de Cristo assegura pela fé no sangue remidor, ao pecador salvo, incluem-se a justificação, o perdão dos pecados e a imputação da justiça divina ao crente, o qual entra em posse de uma salvação certa, segura e eterna. Ef. 2;8,9; 11 Pe. 1:4; Jo. 10:28,29; 3:3-6; Atos 13:39.

VII. Que a Igreja invisível e universal é o corpo o a noiva de Cristo, da qual Ele é o Cabeça e todos os crentes são membros. Contra a Igreja, as portas do inferno não prevalecerão. Cremos que a igreja é uma instituição do Novo Testamento e distinta, que não pode ser confundida com os salvos do Antigo Testamento, e que teve início no dia de Pentecostes e será completa por ocasião do arrebatamento. Mt. 16:18; Ef. 3;3,6; 5:23-27. Cremos ainda que cada igreja visível ou local de Cristo é uma comunidade de regenerados, batizados e associados por um pacto na fé e comunhão mútua, segundo o evangelho, com o propósito de observar as duas ordenanças - "Batismo e Ceia do Senhor"- e tudo quanto Cristo ordenou, e que deve ser governada pelas leis de Cristo, exercendo os dons, direitos o privilégios que lhe são investidos pela Palavra de Deus, Os dons oficiais da igreja local segundo as Escrituras são:

a. Bispos, presbíteros (anciãos), ou pastores, e

b. Diáconos cujas qualificações, direitos e deveres estão claramente definidas nas epístolas a Timóteo e a Tito. Mt. 28:19,20; At. 2:41,42; 6:2-6; 1 Tim. 3; Tito 1.

VIII. Que o batismo é a imersão do crente em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, em vista da fé do batizado no Salvador crucificado, sepultado e ressurreto, significando, também, destarte, que o batizado morreu para o pecado e o mundo e ressuscitou para a vida nova em Cristo, que é o pré-requisito para que o indivíduo seja membro da igreja local. Atos 8:36-39; Rm. 6:3-5.

IX. Que os elementos da Ceia do Senhor são símbolos do Corpo e do Sangue de Cristo, até que Ele venha, e que o crente para recebê-la deve antes examinar a si mesmo para, estando em condição, participar condignamente dela. 1 Co. 10: 16,17; 1 1:23-28.

X. Que há o governo civil e ordenado por Deus para os interesses e boa ordem da sociedade humana, que devemos orar pelos magistrados, honrá-los e obedecê-los, salvo naquilo que for contrário aos ensinos das Santas Escrituras. Cremos na separação completa e absoluta entre o governo civil e a igreja local. Rm. 13:1-7; 1 Pe. 2:13,14; 1 Tm. 2:1-3.

XI. Que todos quantos forem justificados pela fé no Nome do nosso Senhor Jesus Cristo, viverão corporalmente na eternidade, na presença de Deus, no completo gozo das bem-aventuranças celestiais, e que aqueles que, pela impenitência e incredulidade rejeitarem a oferta da graça o misericórdia de Deus, em Cristo, viverão corporalmente na eternidade, no lago do fogo, uma vida de punição e sofrimento eterno. SI. 16; 1 1; Mt. 25:46; Jo. 14:2.

XII. Que existe um ser angélico, pessoal, criado por Deus em perfeição e que posteriormente se corrompeu voluntariamente elo pecado o qual se transformou em Satanás, o deus deste século", o "príncipe do poder do ar", cheio de toda sutileza e malícia, e que, agora, procura incessantemente, frustar os propósitos de Deus o seduzir (fazer cair na tentação e no pecado) os homens. Vencido por Cristo, na cruz do calvário, caminha para o castigo eterno já determinado - a eterna perdição no lago de fogo e enxofre, onde será atormentado para sempre. Is. 14:14,15; Jo. 16: 1 1; Hb. 2; 14; Ap. 20: 1 0,


Elaborado por: JPMA


Menu Versões Bíblicas

Menu principal